domingo, 25 de março de 2012

Coisas de Remediada



Sarava!

Traí-vos. Escrevo agora também para um blogue de um vizinho. Escrevo cartas. Cartas das outras. Podem espreitar (http://discussaoemtornodeumlivro.blogspot.pt/2012/03/cartas-das-outras-julieta-don-juan.html).

Mas continuo por cá. Neste meu arco-íris.

O que vos queria contar… Quando vos disserem que o metro é um meio de transporte eficaz e confortável, não acreditem. É mito (pelo menos na Invicta).

Eu que já me habituava ao meu Ferrari nº204, decidi experimentar uma viagem de metro. Até porque já não aguentava ouvir os comentários de amigas incrédulas com o meu hábito de remediada, sustentando a ideia que o metro seria muito mais rápido, confortável e adornado de gente mais simpática. Foi um erro.

Imaginem (sim, porque mesmo eu só imagino) um concerto do Tony Carreira… Parecia a paragem da Trindade. Cheia de pessoas que se empurravam. O primeiro metro já com as portas bloqueadas foi impossível de apanhar. Veio o segundo, e após umas cotoveladas e uma ou duas calcadelas, lá entrei. Sem lugar sentado. Sem refrigeração suficiente, com odores que dispensava. E com imensos caloteiros que contribuem para aumentar a dívida dos transportes metropolitanos do Porto.
Nunca mais chegava. Nunca mais repetirei.

No regresso. Já no autocarro habitual, alcanço sempre lugar sentado. Convivo com pessoas civilizadas. E até consigo ouvir 5 bandas sonoras em simultâneo através dos auscultadores dos vários passageiros.

E muito recentemente um novo primeiro dia de trabalho. Os nervos eram a minha farda. A cor da minha pele era um rosa velho. E tudo o que podia acontecer-me aconteceu mesmo! Imaginem um final de manhã ainda desse 1º dia, enquanto acompanhava uma cliente, a minha sabrina (nº37 um ou dois números acima do meu, para não magoarem ao fim do dia os pés cansados e inchados) voou 3 metros. Saltou-me do pé e faz umas acrobacias aéreas enquanto eu planeava morrer instantaneamente. 

Acabei esse dia cansada e a descer três andares como quem procuraria um metro e se deparou apenas com um parque de estacionamento. Afinal onde estava o M gigante que anuncia uma estação de metro? Ou onde estavam os meus olhos?

Estou motivada.

_E se eu fosse puta…Tu lias?_