terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Os meus textos com Carlos Carreiro na Colecção de Carlos Carreiro


Sarava

Apresento-me com os meus textos. Escrevo porque não cansa. Podiam ser as obras de pintura do Carlos. Com o mesmo non sense, com os mesmos exageros. Faltam apenas neles o melodrama e intensidade (modéstia e presunção a minha) de quem é terrivelmente mulher.

Repito-me: ensaio-me todos os dias.

Talvez não me esconda tanto (ou seja tão invisível) como os sem abrigos em cabines telefónicas parisienses.

Esqueço-me. Como se herdasse da minha gata o seu Alzheimer precoce. Como se os gatos ou tantos animais fossem família e que geneticamente pudéssemos receber deles as suas maleitas. Ou até como se ficássemos parecidos com a convivência. Será que tenho mais pelos e os meus saltos são mais impetuosos?! Já suspeitei ter visto a minha gata a comer bife do lombo e arranhar histórias….!!

Redigo(-me): ensaio-me todos os dias.

Num destes dias rápidos, dominava eu uma furgoneta branca (como se fosse para uma destas feiras da ladra ou de Custóias) e tentava dominar os caminhos deste Portugal. De repente uma portagem, e eu sem via verde, por isso toca a tirar o recibo. Não consigo ficar próxima o suficiente da máquina e claro tenho mesmo que sair do veiculo para o fazer. Na saída, para além de voltar a ter que sair, não encontrei o senhor que esperava, mas uns 5 botões e tudo era automático. E como se não bastasse, um vento irritante decidiu levar o meu bilhete com ele uns metros e quando eu quase o apanhava, achava que ainda me tinha que continuar a provocar e afastava-o mais um pouquinho. E corria eu na auto-estrada enquanto insultava as maravilhas naturais. Não tive que pagar o máximo porque o agarrei a tempo de não ser atropelada.

Já no regresso, o senhor esperado lá estava no seu lugar carregando um bigode e um sorriso que acabaram por ouvir esta história antes de ser escrita. Conclusão: não gosto de furgonetas que tapam o sol das minhas costas, nem de máquinas que substituem senhores com bigode simpático. Gosto da minha gata e outros, gosto de histórias e das pinturas do Carlos.

_E se eu fosse puta…Tu lias?_

5 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

E eu gosto de te voltar a ler, acredita que tinha saudades da tua escrita. Uma grande beijoca!

Pelos caminhos da vida. disse...

Que bom voltar aqui, obrigada pela sua companhia.

Feliz Natal e um 2012 repleto de muita saúde, paz, amor e de gdes realizações.

Um gdeeeeee abraço.

beijooo.

Menina Marota disse...

Como fiquei feliz de reencontrar as tuas palavras!
Um Feliz Natal e que 2012 te traga muita ventura ( e aventuras) para nos contares!
Um abraço e boas entradas em 2012 :-)))

*** Cris *** disse...

Feliz Natal! Td de bom!

Diamantino Carvalho disse...

Gostei imenso. Muito bom.Também como tu"Gosto da gata e outros, gosto de histórias e das pinturas do Carlos.

Bjs