terça-feira, 21 de junho de 2011

texto meu a concurso

Sarava

Tenho o seguinte texto em concurso. Deixo o link para os meus caros vizinhos irem lá votar!


Se eu fosse um animal seria um atum.

Todo cor-de-rosa. Mas um rosa velho e delicado.
Andaria em bando ou em cardume. Nadava por azuis nunca antes sentidos.

Seria um atum-do-sul ou atum-foguete. Qualquer um que fizesse jus ao mito egípcio e que mantivesse o simbolismo do seu nome: totalidade.

Seria amigo de um precioso cavalo-marinho e ousava perguntar-lhe como era dar à luz sendo pai.

Se tivesse o azar de ser pescado acabaria certamente num prato de sushi bem decorado em vez de numa lata de conserva ou numa sanduíche rápida.

- Para a mesa. – Chama, em tom alto, a minha mãe como se eu estivesse longe.

Estava longe apesar das apenas duas divisões de distância. E o meu aquário mantinha-se sujo com o peixe infeliz. Presumo.

A minha memória é como ele…dá voltas e mais voltas e a maior parte das vezes não se lembra de ter lá estado.

- Vamos lá jantar? – Chama outra vez em tom mais doce e próximo. Mas não era a mãe. Era Constança, uma mulher que me trata como se eu tivesse não muito mais do que dez anos.

Tenho Alzheimer. Mas às vezes sou feliz, quando não me lembro. Presumo.

11 comentários:

Pingalouca disse...

Gostei muito do texto. Acho que tens tudo para seres a vencedora.
Podes contar com os meus votos!

Rg

Pastelaria Editora disse...

Olá antes de mais, parabéns pelo blogue !

Gostaríamos muito que desse uma vista de olhos no projecto DVB, de saber a sua opinião e.... qual o interesse em desenvolver o seu trabalho neste novo formato .

"Transformamos" o seu trabalhos (já editados em livro, ou não), num DVB- Digital Video Book, uma ideia original da Pastelaria Studios Productions

http://pastelariaestudios.blogspot.com/

É exactamente isso, os seus poemas seriam " trabalhados " em DVB . Um livro que se vê como um filme ...

O projecto é recente , é uma inovação , tal como explicamos no blogue.

Não se trata do mesmo funcionamento duma editora "normal", pois não somos uma editora e prestamos essencialmente um serviço criativo .

A minha sugestão seria, enviar-nos os seus "registos", e nós faremos um orçamento.
Posso adiantar que , por ser um projecto novo e , embora o trabalho criativo ( audio, voz, imagen, construção do DVB, etc ) seja bastante, queremos chegar ao maior número de autores de obras escritas , mesmo que essas estejam na gaveta .

um abraço
espero a resposta
qualquer dúvida estamos por aqui


pastelariaestudios@gmail.com

Teresa Maria Queiroz e Pastelaria Studios

Vieira Calado disse...

Pois, sim!

Gostei do texto.

É original e bem graça!

Bjsss

* Não percebi como votar

dragao vila pouca disse...

Muito bonito, és uma craque e depois, os teus pedidos são ordens.
Beijinhos

Vanuza Pantaleão disse...

Amiga querida, que grata surpresa vê-la no nosso espaço!
Ah, sempre apreciei teus escritos e esse aqui está uma delícia.
Olha, por favor, não se zangue comigo, mas estou ficando fora de casa a maior parte do tempo e nem preparei ainda o próximo post. Isso posto, não posso garantir de votar e aquilo tudo que você me indicou. Mas saiba que torço muito pelo seu sucesso, de coração!
Que bom matar saudade...
Um beijaozão no seu coração!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Tô até te seguindo para não te perder de vista nuncaaaaa mais!rsrs.
Carinhos e muita ternura...

Ana Casanova disse...

Olá vizinha! :)

Gostei do texto e já votei. Antes que me esquecesse... ;)

Beijinhos e boa sorte!

Pelos caminhos da vida. disse...

Amei o texto pode contar com meus votos.

Muito bom te ver Pelos Caminhos da Vida, obrigadaaaaaaaaa.

beijooo.

O Profeta disse...

Um barco parado no cais de espera
Amarras soltas do frio ferro
Uma gaivota adormeceu sem penas
Uma criança chora no meio do aterro

Cheio de penas amarro a alma
Uma saudade arrocha meu peito
Sou um caçador de nuvens breves
Um romântico sem ponta de jeito

Um barco de papel perdido do norte
Roseira plantada num campo de pedras nuas
Uma casa perdida da sua cidade
Um labirinto feito de mil e muitas ruas


Doce beijo

PAULO SANTOS disse...

continuo a ler-te....

Vieira Calado disse...

Aí está uma coisa

que é bom para ensaiar:

os contos curtos.

Saudações minhas