terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

oito olhos de janeiro a janeiro



Sarava!

Muitas coisas.

Utilizo o serviço nacional de saúde, serviço pelo qual teço muitas qualidades, no entanto gostaria de partilhar uns incómodos, que espero não serem apenas meus.

Vou ao hospital, quer fazer um exame ou ter uma consulta de especialidade e sou recebida por meia dúzia de pessoas… sem me consultarem, esperam-me um médico e uns estagiários (isto se falamos de uma consulta), porque no último exame que fui fazer, apenas me esperavam 8 estagiárias. Este último, era um exame demorado, e que requeria que eu descansasse ou até que dormisse, mas como estavam sete estagiárias na sala, umas a comerem bolachas, outras a segredarem-se, etcs… foi impossível que o conseguisse fazer.
Ora, será que não nos podiam questionar sobre este supervisionamento?! Sou a favor do saber pela praxis…mas assim também acho que é demais. Vou mostrar uma mama, por exemplo a um médico, e tenho oitos olhos a olharem para ela… é algo que não me parece muito confortável.

Fui ao pingo doce. Quando chego à caixa, confesso alguma desilusão sentida, os funcionários não estavam a cantarolar aquela musiquinha que chega aos meus ouvidos umas 355 vezes por dia.

Se eu fosse excêntrica (aka ganhasse o euromilhões) nunca mais perdia 10 minutos (se corre bem) de cada vez que quero entrar em casa ou no escritório. Contratava alguém para andar com as minhas chaves ao dependuro. Aproveitava esta mão-de-obra também para me coçar quando pinto as unhas e me assaltam estranhas comichões.

_E se eu fosse puta…Tu lias?_