terça-feira, 9 de junho de 2009

gaiteiras vizinhas


Sarava!

Lembram-se de falar na avó gaiteira?? A minha...

Não é que há uns dias, estava eu a trabalhar, naquelas manhãs que se arrastam... e “é melhor ser alegre que ser triste...lalalala” (toque do meu telemóvel)

- Está amigo! Tudo bem? – atendo eu contente.
- Está amiga! Olha a tua avó está na TV? – pergunta ele em jeito de exclamação.
- A minha avó??! Não... claro que não. – afirmei eu quase convicta. Porquê?
- Porque está aparecer neste momento na TVI.
- Não!!?? Vou ver...
- Vai lá. E depois liga-me. Tvi!

Lá fechei, eu, o espaço aberto, e corri para o café ranhoso da rua. TVI....e sim! A minha avó lá estava, de perna cruzada em calça, imaculadamente, branca. Vestia uma túnica floreada de acordo com a estação e a calça, ora claro! E conversava, de forma fluída, com o Sr. Manuel Luís.

O tema que a avó lá foi dissecar... tem todo interesse para este blogue: os vizinhos.
Pelos vistos comemorava-se o dia deles. E a minha avó lá foi comandar as tropas. Com 81 anos, levantou-se às 6h da madrugada e viajou com os seus compinchas de bairro alentejano até à capital.

Depois deste choque de surpresa matinal e televisiva, telefonei-lhe.

Deslumbrada pelo pequeno-almoço oferecido na TV, pela maquilhagem e cabeleireiro à altura, confessou-me que achou o Sr. Manuel Luís “pequenote e franzininho” e a sua companheira Cristina “com cara de mãe, bonitinha até”, mas concertando com um “filha tu é mais bonita que ela”.

São conversas suspeitas de uma avó gaiteira, que prometeu que este programa foi apenas o primeiro.


Entretanto, um reparo no orçamento do meu automóvel... 292 euros. (sem comentários)

Já agora... um aparte. Pode ser que me esclareçam. Aquando uma campanha de solidariedade, no Jumbo, em que eu colaborava com a recolha de bens alimentares e de higiene para duas casas de acolhimento temporário de crianças e jovens, descobri que 95% das pessoas que entravam no hipermercado não iam fazer compras. Até hoje ainda não consegui perceber o que move centenas de pessoas a um hipermercado sem ser para fazer compras. Será para passearem? Para verem e comparar preços? Porque não têm o que fazer nem onde fazer?

_E se eu fosse puta...Tu lias?_


P.S. - Zapping#11 de Sandra Palhares, óleo s/tela, 2008