quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

"Bossa" Boleia


Sarava!

Em fim de tarde chuvoso e com ventos que soam ao ronco de uma avó a dormir a sesta no sofá ,em dias cujas horas não chegam, parada num semáforo tocam-me ao vidro.

- Não me conhece pois não? – perguntou um senhor, de pouco cabelo branco, com um ar pacato.

- Não. – respondi eu, surpreendida, baixando o volume da bossa nova que me absorvia.

- Pois não, mas dá-me boleia? Até ali à frente.

Raciocinei durante alguns segundos, pensando no cenário surreal com que me deparava e respondi.

- Dou!

O senhor entrou, com guarda-chuva e uma saca de pão, com alguma dificuldade. Tagarela, o senhor ia-me falando de um casal que lhe dera boleia dias antes, e depois da paróquia a que pertencia. Eu interrompia-o com questões de direcção e com “sim’s” e “ah pois”.

E com estas e outras, atrasadíssima, deixei o senhor à porta do seu prédio, afastando-me do meu caminho (indo precisamente no sentido oposto ao que devia). As repercussões positivas desta odisseia foram:

Não fui assaltada nem violada!

Recebi um poema da paróquia intitulado “o sorriso”.

Fiz uma boa acção!

As consequências menos positivas foram:

A gasolina a mais que gastei...

O tempo que perdi (cheguei muito mais atrasada)!

Os sermões que ouvi de pais e pessoas responsáveis que gostam de mim pelo risco que corri ( como “dás boleia a um desconhecido??? És maluca? Com as notícias todas”.... blá blá blááá)

Ainda tentei atenuar, com desculpas que remetiam ao perigo que os idosos correm... Que o senhor teve sorte porque eu podia ser uma psicopata criminosa... Que acabou tudo bem...e, recorrendo a princípios da igreja católica apostólica romana, que ajudei o próximo...

Whatever... não repitam. E claro que acabam de comprovar a minha (in)sanidade mental.


_E se eu fosse puta...Tu lias?_


P.s.-Imagem de Marcela Navascués, "El cielo cae sobre nuestras cabezas", 30x30x5cm, técnica mista e luz s/madeira, 2008


sábado, 10 de janeiro de 2009

O Fanico de pré-grávida!


Sarava!



Nem sequer tenho tempo para amar!

E o meu pensamento congelou quando tentei descongelar o meu carro esta manhã. grrrrrr

Vou-vou contar do meu almoço com a minha amiga Inesinhazzz, actualmente pré-grávida.
Não é que esfomeadas e faladores pedimos as sopas e respectivo prato do dia, quando lhe deu o treco.
Só me disse "pera aí que tenho que descansar um bocadinho..." e caput!
Enquanto repousava a sua cabeça entre os braços em cima da mesa posta, começou a arrastar a porcelana consigo. Volta e meia levantava a cara pálida e emitia uns sons.
Eu, em pânico controlado, pedi ao empregado para ligar para o inem e liguei ao Rei a pedir auxílio ultra rápido.
E, em questões de segundos a menina decide recuperar e comer a sua sopa (que ainda não tinha entornado) como se nada fosse. Foi só uma questão de fazer os 3000 telefonemas a agradecer e a esclarecer que já estava tudo bem, e esperar que o meu coração voltasse a um ritmo normal.

Conclusão: nunca saiam sózinhos com uma amiga pré-grávida!


Bom o tempo voa... volto assim que possível!


_E se eu fosse puta...Tu lias?_


P.s.- pintura de Sandra Palhares, Zapping #15