quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Começas o dia a tremer?


Sarava


Com a bochecha anestesiada pelo Sr. dentista pareço uma deficiente facial paralisada no lado esquerdo. E a beber água ou a rir o estado agrava-se bastante.

O TPM já passou sim.

A minha manha hoje começou com um quase atropelamento. Uma colega de trabalho, ex-grávida ainda em licença pós-parto, decidiu meter-se comigo. Eu a pé, cheia de sono, a tentar chegar a horas e ela de carro ao meu encontro. No entanto eu mal me vejo a mim ao espelho de manhã, quanto mais a uma maluca que decide assustar-me, e para tal vir em direcção a mim já quase a subir o passeio. Eu já prestes a levantar o dedo do meio e a insultar já baixinho ao raio da mulher tresloucada quando percebi que era a minha colega Aninha….

Haja boa disposição ao raiar do dia!


Para ajudar as alvoradas, na “minha rua laboral” fazem-se obras há mais de 3 meses e as retroescavadoras (n sei se são estas máquinas mas como sei o nome desta achei que servia para exemplificar, perdoem-me os trolhas a minha ignorância) quase me furam os tímpanos, o som é tão forte que tremo como se tivesse uma cinta de abdominais instantâneos presos à minha barriga (como um anuncio que passa de cereais ou iogurtes em que uma mulher pergunta à outra que está com essas cintas “Começas o dia a tremer?”).


Início de tarde no dentista. Sem cáries nem comentários.


E meus caros vizinhos e coisas que voam, eu não sei o que vos escrever…por isso dêem sugestões… sobre o que gostariam que eu escrevesse?


Ah… e o Dinis já diz papa! Claro que o meu cunhadinho galinha (e juro que é bem pior um pai galinhola do que uma mãe) acha que o petiz disse papá. Mesmo assistindo o puto a repetir 350 vezes papa mal vê iogurte ou bolachas, insiste em acreditar que é papá.


_E se eu fosse puta…Tu lias?_


P.S.- Pintura de Sandra Palhares, Zapping #3, óleo s/tela, 116x196cm, 2007/08


P.S.2- Sugeriram-me poesia... Nunca escrevo...ou já não me lembro de escrever... Mas saiu isto:


A minha poesia é triste

é o fado que cantam

é a alma dos que amam

és tu que partiste


A minha poesia é chuva

é uma noite sem lua

é um corpo arrepiado

sou eu toda nua


A minha poesia é vulgar

com versos de soluços

escrita em qualquer lugar


A minha poesia é drama

com sonhos de menina

que chora quando ama.