terça-feira, 30 de setembro de 2008

Mamma mia


Sarava!




Ando a dar voltas e voltas aos caracóis dourados para saber o que vos escrever.
Isto de andarmos fora de estação deixa-me pouco fértil de ideias.

Enquanto enrolava o indicador nos caracóis ou vice-versa, pedia a vizinhos mais próximos luzes sobre o que escrever.
A minha melhor amiga (sem compromissos nem aventuras há mais de 3 anos, considerada, nos dias que correm, de pura virgem) sugeriu-me falar mal dos homens, percebendo-se de imediato o porquê.
Depois dela, houve outras sugestões mas tão más como esta. E fiquei-me só com as boas intenções.

Entretanto lembrei-me de vos por a par do bairro de teias de aranha nos meus retrovisores do carro. Após ter ido à inspecção com o carro (é forma de dizer, não fui, foram por mim) e de o lavar (também não o lavei eu) infestaram-me os retrovisores com raid (depois das minhas 350 queixas sobre as benditas teias). Resultado: acabaram-se as teias e as aranhas, e as vistas pelo espelhos, já que de tanto raid estão embaciados e oleosos o que impede qualquer boa visibilidade!

E continuando a inteirar-vos dos assuntos já denunciados anteriormente, a minha gata, tipo baleia velha, Conca ainda não morreu à fome com a ração de periquito (hipoalergénica que custa um balúrdio) mas está cada vez mais senil. Ontem fez o seu cocó no tapete de entrada do Hall. Estive mesmo para lhe comprar um novo WC, sim porque o dela tem 19 anos e portanto é démodé, mas os novos são fechados e pelo andar da carruagem ela não se habituaria.

O meu sobrinho Dinis já tem uma quantidade de dentes considerável. E tudo que o que seja comestível ele não se faz de rogado. Todavia, tudo o que não seja, também vai para a boca, quanto mais não seja para aliviar as gengivas.


E nestes dias nasceram dois sobrinhos emprestados! O João (a 19 de Setembro) e o Rodrigo (a 26). Um Sarava aos dois!

E renovando…
Sexta-feira passada fui ao cinema só com amigas gajas, ver o filme da treta para relaxar e divertir – o Mamma mia.
Enfim, o filme é mesmo fraquinho mas foi cómico. A sala estava repleta, ouvia-se o barulho das pipocas (inclusive das minhas), dos risos e viam-se volta e meia coisas a voar (juro que não fui eu). Parecia uma sala de aula do 2º ciclo mas com adultos!
Eu e as minhas amigas revíamo-nos nas personagens do filme (típico de gajas), entre elas, a amiga que vos falei há pouco que será igual a uma amiga da Meryl Streep, uma de cabelo curto e baixinha (que não sei o nome) quando for velha, não só por ser solteirona mas porque abre as caricas com os dentes.
(Claro, que daqui a uns minutos deixo de ter melhor amiga…e sou no mínimo estrangulada. Vou arriscar!)

Eu não sei se é da música dos Abba, se é do filme ser ridículo, se é da predisposição da plateia, o que é certo é que nós e os restantes espectadores parecíamos um coro Gospel durante a sessão.


Deixo-vos com o sol quente deste Outono e com a boa disposição da banda sonora eleita!



_E se eu fosse puta…Tu lias?_






P.s.- pintura de Raquel Gralheiro, "The 40's", 50x50cm, técnica mista s/tela

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

“Blog onde não se maltratam cães nem gatos, mas onde ocasionalmente se esborracham umas moscas (ou umas melgas)”


Sarava!


O digníssimo Rafeiro Perfumado premiou os seus 3.250 seguidores com um selo, a fim de se auto-promover.
Grata com tamanha distinção, vou ajudá-lo a dar seguimento à coisa (senão ninguém o atura)... até porque ele mantém o seu blog de tal forma organizado, que ou ele é desempregado e finge ter um emprego, ou é funcionário público!
De qualquer forma para quem não conhece, é um blog peludo e divertido!

O nome do selo/prémio é “Blog onde não se maltratam cães nem gatos, mas onde ocasionalmente se esborracham umas moscas (ou umas melgas)”!

E o regulamento é premiarem quem quiserem (o mais possível) sem esquecer o link do Rafeiro (http://rafeiroperfumado.blogspot.com), se não ele morde, e o selo.

Como eu também não sou boa rês decidi nomear todos os meus vizinhos que voam (excepto os que já foram directamente "selados" pelo rafeiro).
Quanto aos meus vizinhos devem fazer tudo igual mas acrescentando o meu link ao dele no vosso blog e fazendo inúmeros elogios à minha pessoa!! E depois é só renomearem!!

E voltarem cá aos comentários mal cumpram o desafio, para me darem cavaco às tropas!


_E se eu fosse puta...Tu lias?_

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Escutai coisas senis oh Magalhães!


Sarava!


Tenho andado atribulada com trabalho…e como diz sempre a que se diz minha mãe “primeiro a obrigação e só depois a devoção”.
Por isso estou inocente!


Volto a falar-vos da minha gata Conca, que para além do Alzheimer e do excesso de peso (5, 250 kg) está senil. Depois de gastar 140 euros numa consulta, antes das férias, por causa da gata Conca andar com peladas, semana passada deixei lá 100€ para manter o tratamento da comida hipoalergénica (que mais parece comida de periquitos mas muito mais cara) e para a veterinária me dizer que a gata está senil. E isto só por saber que a bicha faz o seu cocó e chichi ao lado do caixote da areia (em vez de dentro do mesmo).
O problema é que isso eu já sabia… uma gata com 19 anos sustentada a ração de periquito não se suicidar só pode estar senil… eu só ainda não percebi se ela já não sobe para o caixote ou se o faz deixando o rabiote de fora…

O que é certo é que parva a gata não é! Tem-se apoderado sempre que pode dos berços e cadeirinhas do Dinis para dormir as suas sestas bem acomodada ( o que tem lógica, porque merece bem mais do que a criancinha, que ultimamente só faz disparates).




Entretanto, e porque o Sr. Primeiro-ministro esteve hoje na minha terra… que raio de nome escolheram para os computadores que andam a distribuir pela criançada nas escolas – Magalhães.
É que já me esforcei… mas só me ocorre o apelido de algum senhor na casa dos 50 com bigode farfalhudo… o que pode causar algum respeito, qui ças.
Ainda se fosse o “Magas” ou “Magazito” era mais juvenil, dava uma maior proximidade…


Mesmo assim… agora imaginem um puto chegar a casa da escola:
- Mãe chegueiiiiiiiii!!!!! Ah, e trouxe o Magalhães!
A mãe na cozinha responde:
- Oh filho, mas nem me avisaste que trazias um amiguinho para jantar!
Conseguem prever os acidentes com a chegada do Magalhães?!




Por hoje é tudo. Até ao meu regresso.




_E se eu fosse puta…Tu lias?_



p.s.- Escutai! - obra de Nuno Medeiros, óleo e acrílico s/tela + chapa de acrílico, 150x90cm, 2008

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Um monte, um casamento e 250 convidados!

Sarava!


Eu sei que por vocês tinha-vos contado as minhas férias tintim por tintim até ao mais ínfimo pormenor, mas haja decência caros vizinhos… Entretanto, também não vim preguiçosa, e passo a explicar a falta de detalhes… Neste último sábado, dia 13, fui madrinha de casamento.Espero que percebam a ausência, já que se deve a um sacramento!


Vou-vos então contar.

Demorei um mês (mais coisa menos coisa) a preparar a minha indumentária numa querida estilista… Fui toda de azul-turquesa e bolas pretas com uma flor volumosa no ombro, do mesmo tecido.

O vestido ficou pronto na quarta-feira, uns minutos antes de partir para Évora (local da cerimónia).

A minha viagem de comboio deu-se com duas companhias distintas. A primeira, entrou em Espinho, um homem na casa dos cinquenta acompanhado de uma espécie de extintor azul com umas mini-mangueiras transparentes presas ao nariz. Imaginem-me a tentar dormir e deparar-me com esta chegada… O sono foi-se de imediato, e eu só pensava no que seria aquela maquinaria toda… e se dava o badagaio ao senhor ali mesmo ao pé de mim.

Não resisti e perguntei com ousadia:

- Olhe não vou fingir que não reparei… o que é isso?

Sorriu com um ar paciente e até carinhoso – É uma máquina de oxigénio…

E continuou: - Eu nunca soube fumar, fumava 6 maços de tabaco por dia, até que comecei a dar entradas no hospital e os médicos sempre a proibirem-me de fumar e eu sem ligar. Até que me descobriram um enfisema nos pulmões e agora dependo disto.Isto dá-me para doze horas, eu que vim da batota do casino e agora regresso a casa a Coimbra…Eu sem ar, acho que nunca mais falei até ele sair em Coimbra. Aí a troca deu-se para uma cabeleireira que fez os 5 telefonemas imprescindíveis mal se alapou no comboio, num tom de voz suficientemente audível para que metade das carruagens ouvissem a sua vida em resumo. O meu sono ficou condenado a partida e depois a vizinha cabeleireira decidiu partilhar comigo a vida das duas filhas, do marido, da mãe e da casa de campo até sairmos no Oriente.


Viagem aparte.


Acho que não me caso tão cedo… ao saber tão de perto o trabalho que se tem e os gastos.

Entretanto a minha afilhada ia linda de morrer. Acho que foi o casamento mais bonito que vi, se calhar pela carga afectiva…E num redemoinho de coisas a tratar até à última… e de na véspera chorar baba e ranho porque não gostava já do meu vestido, tudo passou… com a maquilhagem profissional e os caracóis semi-apanhados. Mãe, madrinha, meninas das alianças, noiva e fotógrafos tudo a postes. E a descida da noiva fez-se aos seus convidados como se de um filme se tratasse.Mal a noiva entrou ao som do ave-maria cantado pela tenor eu desmanchei-me em mais lágrimas. E na altura de ler o evangelho fiz uns 2 minutos de silêncio até ter certeza que não desmaiava. E tudo se concretizou.

O copo de água no monte Alentejano foi ritmado ao som de Los Cubanitos, adocicado com uma fonte de chocolate quente, e com tudo a que os noivos tinham direito. E as 250 pessoas nem se notaram…


Vivam os noivos e a madrinha!!


_E se eu fosse puta…Tu lias?_


sábado, 6 de setembro de 2008

Um, dois, três...já cá estou outra vez!


Saravá!!!!!!!



(Yupi yupi olarilolé com arroz e com puré….tirarará!!... – grito de regresso cheio de energia:D)


Meus vizinhos, visitas e coisas que voam, cá estou eu renovada depois de um mês inteirinho de férias! Sim…porque já cheguei domingo passado, mas a rentrée no trabalho não me deixou actualizar antes. (Já pensavam que tinha morrido com alguma insolação ou alergia balnear não?!!?)
As férias correram maravilhosamente… No entanto… e como normal fiz duas constatações importantes em Agosto.

A primeira (e mais importante) é que as criancinhas adoráveis (com os devidos pais) deviam ser proibidas de entrar nas praias. Só lhes deviam ser permitido o acesso a partir dos 15 anos. Nunca antes disso.

Sinceramente, torna-se quase impossível fazer praia com tantas criaturinhas (crianças) à solta. Mal eu acabava de me estender molhada na toalha devidamente sacudida lá passava uma criatura e me enchia de areia. Era impressionante… ou iam para a água ou voltavam dela, ou iam chamar a mamã ou a avó… Parecia mau-olhado. E quando tentava fazer uma soneca…era praticamente uma utopia. Sempre que estava a fechar o olhito moreno (e já com areia) ou caía uma bola de voley, ou uma bola pequena de uma raquetada mal dada… ora começavam a berrar.
Convínhamos os bebés comem areia, não podem expor-se ao sol, comem de 3 em 3 horas, etc. As crianças requerem alta vigilância pela insegurança de raptos e afins, companhia para idas ao mar e chateiam com tanta energia. Logo porque teimam em levá-las?? Já não há paciência… Ainda reclamam as baixas taxas de natalidade??!!
Com estes exemplos, só nas férias, ficamos sem apetite nenhum para contribuir para qualquer aumento.

A segunda constatação, ou melhor descoberta, foi que os cintos de segurança são reguláveis! Segundo soube, desde 1995 os automóveis vêm todos com cintos reguláveis… Ou seja, eu andava feita Luís Vaz de Camões desnecessariamente (já que o meu carro é de 2004)!

E fico-me por aqui.



_E se eu fosse puta…Tu lias?_



p.s.- Imagem de Marcela Navascués.